quinta-feira, 2 de março de 2017

Amava-te sem te conhecer




Tudo começou pelas tuas palavras.

Aquelas mesmas palavras que eu sei que conquistaram tantas outras. Eu sei disso, mas li-te e fiquei rendida à tua magia. O teu mundo encaixou de imediato no meu. A tua alma o tocou no ponto mais profundo da minha.

Tinha que te conhecer. Tinha que saber como era o rosto de quem escrevia aquelas palavras. Tinha que tocar as mãos do escritor. Sentir-lhe o cheiro daquela dor, que ele desenhava nas linhas da sua escrita.

Havia um mundo que nos separava. Existiam as palavras que nos juntavam. O teu refúgio era o porto de abrigo. Tu escrevias para soltar sentimentos e eu lia-te para curar sofrimentos.

Amava-te, sem te conhecer. E conhecia-te, sem saber quem eras.

Tu soltavas-te nas palavras e elas preenchiam os vazios que existiam na minha vida. Olhava-te através da tua escrita, sabia que conhecia cada traço teu, do mesmo modo que conhecia as tuas palavras. Aprendi a imaginar-te pelo que escrevias. Uma paixão começava a fervilhar no meu corpo. Tu apagavas os fogos que me queimavam. As tuas palavras ateavam a fogueira do amor que em mim já ardia.

Tu escrevias, o que o meu coração queria ler. Eu pensava, que o amor estava a renascer no meio das cinzas da minha existência.

Amava-te tanto e o meu coração te conhecia sem nunca te ter tocado.

Queria salvar-te das tuas batalhas contra os fantasmas. Queria dar-te o amor que eu julgava que te faltava. Eu já não existia sem ti, mesmo sem saber que chão pisavas.

Amava-te sem conhecer o dia de amanhã. Como quem ama de olhos vendados para não ver o caminho por onde vai.

Deixa-me viver nesta ilusão. Ela deu outra cor à minha vida. Deixa-me amar-te sem te beijar. Deixa que te abrace sem saber a cheira o teu corpo.

Amo-te com a mesma intensidade com que escreves. Por isso continua a escrever para mim, mesmo sem saberes que eu existo.

Se o destino assim quiser, um dia poderei ser uma das páginas do livro que ainda não escreveste. Mas enquanto tiver palavras tuas para ler, terei a imaginação para te continuar a amar. O meu coração aprendeu a ler-te e não sabe como esquecer-te.

@angela caboz

Sem comentários:

Enviar um comentário