segunda-feira, 24 de abril de 2017

Gosto da chuva, sabes porquê?


Gosto da chuva, sabes porquê?

Porque ela serve de sombra às minhas lágrimas. Quando ando à chuva, tu não vês que choro. Ficas a pensar que não passo de uma menina traquina, que gosta de se molhar. A menina que não cresceu e continua a gostar de andar à chuva.

Por isso, é que fico ali, de vestido molhado, colado ao meu corpo. Rosto lavado, de mágoas que ninguém vê. Caminho com meu andar seguro, debaixo daquela intempérie. Faço-me de forte. Enfrento a forte chuvada que me lava a alma. E é de alma lavada, que choro as minhas tristezas enganando quem me vê e julga-me tola por andar ali brincando com a chuva. É desta forma que engano aquele meio mundo, que não conhece a verdade da minha vida.

Até passa por mim, um velhote simpático, que me oferece o seu guarda-chuva, para que não me molhe mais. Para que não fique constipada, diz ele amavelmente. E eu, com um sorriso lavado, que engana qualquer um, agradeço-lhe e digo, que aquela chuva não me molha. Que aquela chuva vai purificar-me. E então, é ele que sorri. Sorri e continua o seu caminho. Deve achar que sou mesmo louca. Que sou uma tonta, que gosta de andar à chuva.

Ele não sabe é que o que me deixa louca é esta tristeza que carrego comigo. Esta tristeza que só consigo esconder no meio da chuva. Sob esta capa feita de gotas de águas, em que posso chorar sem que o mundo o saiba a razão.

A chuva continua a cair deste céu negro, que combina com a minha vida. Eu pergunto-me, se esta chuva não será a mãe das minhas lágrimas. Se esta chuva não será irmã da minha tristeza. Por isso abro os braços e abraço a chuva e sinto-me confortada na minha dor. Sim, este abraço da chuva é um colo para as minhas dores.

Agora, que já sabes porque gosto da chuva, não me julgues da próxima vez que me vires a dançar a serenata das minhas tristezas. Poderás, isso sim, dançar comigo até que a tempestade amaine. Quem sabe se não serás tu a Primavera pela qual o Inverno há tanto tempo espera.

Anda, vamos dançar os dois à chuva!


@angela caboz   


Sem comentários:

Enviar um comentário