segunda-feira, 22 de maio de 2017

Cansei-me de remar contra a maré



Cansei-me de correr atrás de quem nada me pode acrescentar. Cansei-me de escutar promessas onde só havia silêncios. De falar com os meus sonhos por não existirem ouvidos disponíveis para me ouvirem.

Cansei-me de remar contra a maré. De ficar a ver o barco que seguia numa rota diferente da minha. As coordenadas do meu mapa eram outras. O destino tinha-se enganado quando mandou estacionar a minha caravela naquela ilha.

Por isso, vida desculpa-me. Tenho mesmo que ajustar a minha rota. Não posso fazer marcha atrás, porque esta viagem não tem retorno ao ponto de partida. Vou sim, virar na próxima esquina que encontrar. Vou apanhar o comboio do futuro. Cansei-me de andar de barco em busca de uma ilha perdida. Vou andar na linha do futuro e perseguir os meus sonhos.

Tenho que me apressar para não perder este comboio. Se o deixar passar posso nunca mais ter outra oportunidade de ser feliz. Não tenho tempo para me despedir do passado. Vou só deixar-te um recado. Que fiques bem aí onde estás.

Há um amor que quer fechar esta porta. Um amor que não quer voltar ao chão que já pisou. Um amor que quer partir sem olhar para a tristeza que deixa atrás de si. Um amor que mente e não quer entender a mágoa do outro. O outro que o amou e não percebe a sua partida. Na revolta desse coração, ele não encontra explicações. Jura que o passado já não volta. E hoje, também ele chora sem razões para deixar de amar

Não venhas atrás de mim. Já não tenho espaço em ti para por aqui. O único lugar vazio neste comboio foi ocupado por um sorriso que me conquistou. Foi um príncipe, que por aqui passou e que o meu destino modificou.

Nós somos o passado, somos uma história, que ninguém vai apagar. Mas tenho que continuar a caminhar para edificar os meus sonhos. Cansei-me de estar sozinha e não ver nada para além da linha do horizonte.


@angela caboz

Sem comentários:

Enviar um comentário