sábado, 8 de julho de 2017

Tu mudaste a minha vida




Fiquei a olhar o calendário. Desfolhei todas as suas páginas uma a uma. Dei por mim a pensar em que dia, mês e ano te comecei a amar. Que horas marcariam no relógio naquele momento magico em que nos cruzamos e que eu sem perceber me apaixonei pelo teu sorriso e me encantei pelo teu olhar.

Não me recordo se fazia sol. Se chovia. Se era Primavera ou Verão, porque o teu olhar me deixou cega e tudo em meu redor deixou de existir.

Olhei-te e de repente senti-me uma parte de ti. A outra metade de mim. A gota de ousadia que me faltava. A partícula de timidez que te sobrava, estava tudo ali. Tu eras tudo o que eu não tinha e eu tinha tu o que tu procuravas. Eras a eternidade que eu nunca tive e que procurava nos sonhos que ainda não sonhei.

Esse foi o momento exato em que te amei, ainda sem saber. Sem perceber que sem ti nada mais voltaria a fazer sentido.

E, hoje olho-te e sinto-me a projecção do teu pensamento. A exclamação no final de cada uma das tuas frases. O ponto de interrogação nas horas em que tens dúvidas e eu te dou explicações. As reticências sobre o será o futuro dos nossos sentimentos.

Olho-te e lá estou eu, sempre incluída na tua vida.

Vejo as minhas mãos no teu rosto, a limparem as lágrimas de angústia transportadas de outro passado. O meu sentimento a secar os pingos de tristeza que em tempos eram a chuva da solidão que te visitava todos os dias.

E, agora já não choras amor, agora sorris e escreves sorrisos nos meus lábios. Também tu vieste dar cor aos meus dias. Deixaram de rolar por este rosto gotas salgadas de sofrimento que manchavam o meu viver.

Os sentimentos que foste escrevendo no meu coração eram tão fortes e intensos que nem precisei de passa-los para o papel, para que fosse necessário guarda-los na minha memória.

Eram uma tatuagem feita na minha alma e que ficou guardada no meu coração. Datas e momentos que não precisaram de agendas para que sejam recordados. Pois, eles são uma recordação viva, de instantes de felicidade pintados no meu corpo que jamais serão esquecidos. 

Tu és a memória viva do sonho que me arrisquei a viver, uma recordação do que amo, de alma e de coração, a história que fica para a eternidade.

@angela caboz   
 



Sem comentários:

Enviar um comentário